Crédito da Imagem: Alagoas 24 Horas
Crédito da Imagem: Alagoas 24 Horas

O presidente da Comissão de Relações Exteriores do Senado, Ricardo Ferraço (PMDB-ES), disse nesta segunda-feira, 02/09, à Agência Brasil que o governo federal precisa levar as denúncias de espionagem dos Estados Unidos sobre a presidenta Dilma Rousseff e assessores diretos dela a instâncias internacionais como a Organização das Nações Unidas (ONU).

O que nós precisamos é cobrar explicações do governo norte-americano. O terrorismo está sendo usado como biombo. Por que o governo está se valendo dessas ferramentas, sendo que o Brasil está fora do eixo do terrorismo?”, indagou. Ferraço disse que as denúncias exibidas neste domingo, 01/09, pelo programa Fantástico, da TV Globo não o surpreendem. “Eu não me surpreendi porque esses indícios (de espionagem sobre a presidenta) já estavam muito postos nas falas do [Edward] Snowden.”

Nesta terça-feira 03/09, será instalada no Senado a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Espionagem, para apurar as denúncias. Ferraço é cotado para ser relator da comissão. O senador disse que a situação é complicada, pois como o embaixador dos Estados Unidos no Brasil, Thomas Shannon, tem imunidade diplomática, ele não pode ser convocado para dar explicações.

Ainda nesta segunda-feira, a presidenta Dilma convocou ministros para duas reuniões de emergência no Palácio do Planalto a fim de tratar de denúncias. Além disso, o embaixador dos Estados Unidos no Brasil, Thomas Shannon, foi ao Itamaraty prestar esclarecimentos sobre o tema ao chanceler Figueiredo Machado.

Leia Também:

Alvo de espionagem, Dilma convoca reunião de emergência

Espionagem dos EUA já cancela projetos de computação em nuvem

Entrevista de Edward Snowden que denunciou o esquema de espionagem dos EUA.

Embaixador dos EUA comemora espionagem no Brasil

Brasil pressiona, mas EUA mandam recado: “espionagem vai continuar”

Cisco nega uso de backdoors e diz ter ‘participação zero’ na espionagem

No Brasil, temor sobre segurança na ‘nuvem’ ainda ignora espionagem

Fonte: Agência Brasil