Falta de padrões indica que a segurança desses eletrodomésticos acabará muito antes do final da vida útil do produto

A duração e a funcionalidade dos eletrodomésticos inteligentes pode estar sendo comprometida pela falta de padrões na atualização do seu software de segurança. A afirmaçao vem da “Which?”, uma organização da Inglaterra que há 60 anos pesquisa produtos e serviços destinados a consumidores. Segundo ela, uma pesquisa revelou que 69% dos proprietários de eletrodomésticos inteligentes esperam que eles tenham a mesma duração que os convencionais. Porém, acrescenta a “Which?”, com a confusão de todo o setor sobre as políticas de atualização e a falta de regulamentação clara, as atualizações de segurança podem acabar muito antes do final da vida útil do produto.

A organização afirma que quando se acrescenta software nos produtos, eles podem ter uma vida muito mais curta – pelo menos em termos de funcionalidade total: “Os produtos não suportados podem fornecer uma maneira de os hackers roubarem seus dados, por isso é importante que a proteção não seja interrompida antes que o dispositivo se acabe”. A “Which?” perguntou a todos os principais fabricantes de eletrodomésticos inteligentes por quanto tempo eles fornecerão atualizações de segurança para seus produtos conectados. Somente um conseguiu dizer definitivamente, em número de anos, o que os consumidores podem esperar.

A consulta foi feita à marcas Beko, BSH (Bosch, Neff e Siemens), Hoover / Candy, LG, Miele, Samsung e Whirlpool Group (Hotpoint, Indesit e Whirlpool): quanto tempo elas fornecerão atualizações para seus aparelhos inteligentes. A a maioria respondeu ‘por toda a vida do produto ‘. Pouquíssimas marcas detalharam o que fosse “toda a vida”. A Samsung confirmou apenas um mínimo de dois anos de atualizações, enquanto a Beko confirmou um máximo de 10 anos.

Apenas a Miele promete 10 anos de atualizações de segurança para seus aparelhos inteligentes. Sem uma política clara dos governos, cabe aos fabricantes decidir quanto tempo pode durar a vida útil dos produtos. Já houve, segundo a “Which?”, fabricantes retirando o suporte a produtos em funcionamento depois de prometer atualizações vitalícias, como aconteceu quando a TomTom retirou o suporte para navegações por satélite mais antigas em janeiro de 2018. Nenhuma marca consultada pela “Which?” publicou sua política de atualização.

Com agências internacionais

Fonte: CISO Advisor (https://www.cisoadvisor.com.br/eletrodomesticos-inteligentes-nao-tem-politica-de-update/)