Estudo mostra que 60% dos profissionais do setor confiam mais em descobertas de ameaças verificadas por humanos

Pesquisa revela que embora mais da metade das organizações use Inteligência Artificial (IA) ou Machine Learning em sua gestão de segurança, quase 60% ainda estão mais confiantes nas descobertas de ameaças cibernéticas verificadas pelos seres humanos. A convergência de DevOps, Segurança e IA tem transformado a realidade das empresas, que se adaptam às novas tecnologias e a cultura organizacional a partir dela.

O “Estudo de sentimento de segurança da IA e dos elementos humanos” é baseado em uma pesquisa com 102 profissionais do setor que participaram do RSA Conference 2020, realizado em fevereiro, nos Estados Unidos. A pesquisa feita pela WhiteHat, empresa especializada em consultoria e auditoria de segurança da informação, se propôs a identificar junto aos profissionais do setor quais eram suas experiências e sentimentos sobre a experiência humana e o uso de inteligência artificial na identificação e correção de vulnerabilidades de aplicativos.

Metade das empresas entrevistadas utilizam IA como estratégia de segurança. Apesar do número de vantagens que as tecnologias baseadas em IA oferecem, os entrevistados ressaltaram os benefícios que o elemento humano fornece às equipes de segurança cibernética.

A WhiteHat aponta que as respostas da pesquisa, juntamente com o tema “Elemento humano” na RSA Conference 2020, refletem a necessidade de as organizações de segurança incorporarem tanto as ofertas centradas na IA quanto as humanas, especialmente no espaço de segurança de aplicativos.

Elemento humano

Segundo o relatório, a maioria dos entrevistados enfatiza que existem habilidades que o elemento humano fornece que a IA e o Machine Learning simplesmente não conseguem igualar. Trinta por cento dos entrevistados citaram a intuição como o elemento humano mais importante, enquanto 21% enfatizaram a importância da criatividade, e quase 20% concordaram que a experiência anterior e o quadro de referência é a vantagem humana maior destaque.

A IA e o Machine Learning forneceram várias vantagens para os profissionais de segurança cibernética em geral nos últimos anos, especialmente diante da lacuna de talentos em tecnologia, que deixou 45% das empresas entrevistadas sem uma equipe de segurança cibernética com pessoal suficiente.

Mais de 70% dos entrevistados concordam que as ferramentas baseadas em IA tornaram suas equipes de segurança cibernética mais eficientes, eliminando mais de 55% das tarefas simples do dia a dia.

Quase 40% dos entrevistados também sentem que seus níveis de estresse diminuíram desde a incorporação das ferramentas de IA em seu montante de segurança e, desses participantes em particular, 65% afirmam que essas ferramentas permitem que eles se concentrem mais na mitigação de ataques cibernéticos e medidas preventivas do que antes, de acordo com o estudo.

Fonte: CIO