Aplicativo conectado a um banco de dados que vai ser usado pela polícia nas ruas e que vai dar a identificação exata das pessoas abordadas. Outro aplicativo dá a localização exata do trio.

 

Resultado de imagem para carnaval de salvador

O carnaval de Salvador começa, oficialmente, no dia 20 e vai contar com a tecnologia para ajudar o folião a saber exatamente onde estão os trios elétricos, e até para identificar suspeitos no meio da multidão.

A estrutura do carnaval já está quase pronta. A Prefeitura de Salvador estima que 3 milhões de baianos e turistas tomem as ruas nos dois principais circuitos da folia. É tanta gente que Yuri e Vitor vão para festa com um rastreador de trio elétrico. O aplicativo dá a localização exata do trio. “Já me salvou várias vezes que precisei sair do circuito para buscar alguns amigos. Perder o trio, perder Léo Santana, perder Ivete, a gente não quer ficar de fora disso”, diz Victor Fonseca, empresário.

O aplicativo traz ainda informações sobre serviços como pontos de alimentação, transporte e postos de saúde nos circuitos do carnaval. “Ano passado mesmo eu estava com minha amiga atrás do trio e ela passou mal. Então foi muito fácil achar um ponto onde eu pudesse ter a ajuda necessária”, diz Yuri Viana, ator.

A tecnologia vai ajudar também na segurança festa. São 42 portais de abordagem, mil detectores de metais, dez drones sobrevoando todo o circuito da festa, além de 300 câmeras nos três principais circuitos. As imagens em tempo real são monitoradas direto de uma central de monitoramento. E é dessa central que vem uma tecnologia capaz de identificar foragidos da polícia através do reconhecimento facial.

Este ano, a ferramenta ganhou um aliado. É um aplicativo conectado a um banco de dados que vai ser usado pela polícia nas ruas e que vai dar a identificação exata das pessoas abordadas.

“Com uma foto do rosto ou das impressões digitais, nós temos condições de checar na nossa base de identificação e autenticar se a pessoa é ou não a pessoa que está se identificando para os policiais”, destaca Maurício Barbosa, secretário de segurança pública.

Luciana, que é de São Paulo, veio para o carnaval de Salvador sozinha para trabalhar e acabou curtindo a festa também. Ela contou com um aplicativo para fazer amigos e aprovou a ferramenta.

“Eu consegui conhecer pessoas e foi bom também que eu acabei passeando e curtindo o carnaval. Quem sabe esse ano eu vou de novo?”, conta Luciana Almeida, relações públicas.

O chef Auricélio Romão mora em Fernando de Noronha e se prepara para o terceiro carnaval em Salvador na casa de uma amiga: “o trio tá chegando aqui perto, a gente vai desce, comemora, volta pra casa. A vantagem de estar perto do circuito é essa, que a gente vai acompanhando essa tecnologia avançada e a gente já consegue acompanhar tudo virtual”.

Fonte: G1