Levantamento da companhia traz números referentes a 2019 e mostra que 93% do total de transações móveis em 20 países foram bloqueadas como fraudulentas

A plataforma antifraude Secure-D da Upstream, que detecta e bloqueia transações móveis fraudulentas originadas de malware de fraude de anúncios, identificou que 23 milhões de smartphones foram infectados no Brasil em 2019. A plataforma abrangeu 31 operadoras móveis em 20 países e processou 1,71 bilhão de transações móveis, bloqueando 1,6 bilhão delas como fraudulentas, 93% do total de transações.

Estima-se que, se desmarcadas, essas transações custariam aos usuários US$ 2,1 bilhões em cobranças indesejadas. Para o setor como um todo, as perdas com publicidade online, móvel e no aplicativo atingiram US$ 42 bilhões em 2019 e deverão atingir US $ 100 bilhões até 2023.

Os dados são da pesquisa da empresa intitulada Invisible Digital Threat, que constatou um aumento de aplicativos mailiciosos: 98.000 no ano passado, ante 63 mil em 2018, que infectaram 43 milhões de dispositivos Android. Esse sistema é o mais dominante, entretanto, é o mais vulnerável devido à sua natureza aberta, tornando-o um playground favorito dos fraudadores.

As ações maliciosas parecem segmentar algumas categorias de aplicativos. Ironicamente, os app projetados para melhorar o funcionamento do dispositivo e facilitar a vida cotidiana são os que mais prejudiciais, com 22,32% dos aplicativos maliciosos para 2019.

Os efeitos da fraude em anúncios para celular são particularmente prejudiciais em mercados emergentes, onde os custos de dados são significativamente mais altos. Conforme evidenciado pelos dados detalhados apresentados em cinco desses mercados, incluindo Brasil e África do Sul, as taxas de fraude na maioria dos casos ultrapassam a marca de 90%.

Fonte: Security Report