De cientista de dados a diretor de diversidade, novas posições estarão em alta demanda nos próximos anos

Resultado de imagem para 5 profissões que não existiam há 10 anos e que estarão em alta em 2020

A década de 2010 foi iniciada com incertezas em relação ao mercado de trabalho. Diversos setores ainda estavam lidando com as consequências da Grande Recessão. Apesar disso, o final da década teve melhora significativa para os trabalhadores com destaque para a área da tecnologia.

Embora os avanços tecnológicos tenham eliminado algumas funções humanas, o mercado de trabalho foi redefinido, vendo surgir novas profissões nos últimos 10 anos. Muitos desses cargos possuem boa remuneração, em parte por conta da escassez de talentos com as habilidades cruciais para manter as empresas competitivas.

Para avaliar as mudanças no mercado de trabalho, abordando profissões que mal existiam em 2010 e que apresentaram grande crescimento nos últimos anos, a CNBC entrevistou Amanda Stansell, analista sênior de pesquisa econômica da Glassdor. De acordo com a especialista, as cinco carreiras a seguir continuarão em expansão nos próximos 10 anos. Confira quais são e a média anual de salário para cada uma delas.

Cientista de dados: US$ 107.697 por ano

Em 2012, a Harvard Business Review nomeou a ciência de dados como “a carreira mais sexy do século 21”. E nos últimos quatro anos, a Glassdoor a reconheceu como a profissão número 1 nos EUA com base na satisfação no trabalho, salário e oportunidades.

Apesar de a demanda por cientistas de dados ainda estar mais concentrada na indústria da tecnologia, a presença desses profissionais está crescendo para todos os setores, incluindo assistência médica, finanças, negócios, varejo e mídia. Esse movimento tem ocorrido porque mais empresas estão investindo em tecnologias para coletar dados, tornando a necessidade de profissionais para interpretar essas informações ainda maior.

Como ainda é um campo relativamente novo, muitos dos cientistas de dados têm diferentes formações, como ciência da computação, matemática, estatística e engenharia. No entanto, cada vez mais universidades estão oferecendo cursos específicos na área.

Engenheiro de segurança da informação: US$ 100.553 por ano

Segundo a Risk Based Security, desde 2010 as violações de dados comprometeram mais de 38 bilhões de contas. Essas ameaças e a crescente necessidade de proteger dados resultaram na segurança da informação como um dos principais campos do mercado.

Nesse sentido, os engenheiros de segurança da informação trabalham para proteger os sistemas de rede de computadores da organização. Além disso, esses profissionais são responsáveis por planejar e executar medidas de segurança para proteger informações confidenciais das empresas contra ataques cibernéticos.

De acordo com o Bureau of Labor Statistics, a previsão é de que a área cresça 32% até 2028. Vale destacar que a taxa média de crescimento para todas as ocupações é de 5%. No entanto, ainda há escassez de mão de obra qualificada para a função, o que deve gerar 3,5 milhões de vagas não preenchidas em todo o mundo até 2021.

Diretor de diversidade e inclusão: US$ 98.154 por ano

A única profissão emergente mais bem paga da década que não se enquadra no setor de tecnologia é a de diretor de diversidade e inclusão. Com foco na cultura organizacional, a posição é tão nova que a Glassdoor ainda não possui informações salariais específicas, utilizando com base a remuneração do diretor de recursos humanos.

As empresas maiores, com 5 mil ou mais funcionários, são as que mais investem no crescimento dos departamentos de D&I, provavelmente por conta da disponibilidade de recursos financeiros. Para os especialistas, as funções serão tendências na nova década, já que estudos mostram que 72% dos funcionários considerariam deixar a sua empresa para atuar em outra que tivesse melhores iniciativas e programas de diversidade.

Engenheiro de vendas: US$ 90 mil por ano

Os engenheiros de vendas trabalham para empresas de tecnologia para comercializar software e produtos personalizados para outras empresas que desejam expandir seus esforços de TI.

Como os trabalhadores precisam ter amplo conhecimento desses produtos e entender os processos científicos por trás das suas operações, os engenheiros de vendas tendem a ter formação técnica (por exemplo, um diploma em ciência da computação ou engenharia). No entanto, eles também precisam de sólidas habilidades interpessoais, como conhecimento em comunicação, negociação e marketing, a fim de fornecer soluções personalizadas aos clientes durante o processo de venda.

Enquanto a Glassdoor classifica o salário médio anual de um engenheiro de vendas em US$ 90 mil por ano, a remuneração pode variar de acordo com o produto vendido. Por exemplo, o Bureau of Labor Statistics diz que aqueles que operam no setor de telecomunicações tendem a ganhar mais, cerca de US$ 118 mil por ano.

Desenvolvedor Salesforce: US$ 80.357 por ano

Embora a Salesforce tenha sido fundada em 1999, sua influência nos EUA se expandiu bastante nos últimos 10 anos, tanto que o papel de desenvolvedor Salesforce se tornou uma posição procurada em empresas como Google, Amazon, PwC e Uber.

Como desenvolvedor Salesforce, os funcionários utilizam a plataforma Salesforce ou a tecnologia em nuvem para codificar soluções de software ou aplicativos para as empresas se conectarem melhor com clientes, parceiros e potenciais consumidores.

Fonte: CNBC e ITTrends