Por Edson Ortega

Milésimos de segundos. Este é o tempo para uma transação no cartão ser aprovada – tanto nas compras em lojas físicas quanto no e-commerce. Apesar da operação ser praticamente instantânea, ela é resguardada por uma estrutura tecnológica cujo objetivo é blindar o portador do cartão, protegendo suas informações de forma segura.

Toda transação envolve um enorme volume de dados, que inclui desde o valor e o horário da compra até informações sobre o estabelecimento comercial, seja ele físico ou virtual.

Cada um dos players envolvidos na transação com cartão – como bandeira, estabelecimento comercial, credenciador e emissor – tem a sua própria função, mas, ao mesmo tempo, atuam em parceria como uma engrenagem bem azeitada para garantir a proteção do usuário final.

Para integrar este sistema, os parceiros devem seguir regras de segurança, como treinamentos e requerimentos técnicos de prevenção a riscos, além de utilizar ferramentas de monitoria em tempo real. Nosso sistema de redes neurais realiza um monitoramento detalhado do índice de fraudes com inteligência artificial, incluindo relatórios e testes, de cada parceiro. Se um deles apresentar qualquer alteração, solicitamos uma reavaliação de seus procedimentos para evitar novas tentativas de golpe.

A segurança deve ser uma constante em todas as transações envolvendo cartões de crédito

 

A indústria de pagamentos, por sua vez, está constantemente investindo em inovação tecnológica e transmitindo esse conhecimento aos parceiros. Para compras em lojas físicas, o setor desenvolveu cartões com chip padrão EMV que geram um código único, o que reduz drasticamente o risco de clonagem. O pagamento por aproximação confere rapidez à transação, pois evita o contato físico do cartão com o leitor, impedindo o compartilhamento da senha com o estabelecimento para determinados valores.

Já para o ambiente virtual, o protocolo de autenticação 3DS 2.0 possibilita a troca de maior número de informações entre os parceiros, dificultando ainda mais a ocorrência de possíveis fraudes. Nos pagamentos online com aplicativos, os cartões tokenizados dispõem de tecnologia que substitui os 16 dígitos do número da conta da credencial de pagamento por um identificador digital exclusivo.

Os consumidores também desempenham papel importante na prevenção. Sugerimos que monitorem suas contas periodicamente para identificar qualquer irregularidade, utilizando alertas de transações e instalando programas antivírus em computadores, notebooks e celulares.

Tantas ferramentas asseguram que os índices de fraudes sejam bastante baixos. Ao digitar sua senha em uma “maquininha” ou clicar o ok no carrinho de compras de um site, o consumidor nem imagina a infinidade dos procedimentos envolvidos em uma transação buscando a sua segurança. E este é justamente o nosso objetivo como indústria: impedir a fraude e não a operação, garantindo tranquilidade e a melhor experiência aos portadores de cartão, para que a compra seja cada vez mais rápida, fácil e tranquila.

*Edson Ortega é vice-presidente de Risco da Visa, uma das maiores bandeiras de cartões de crédito do mundo

Fonte: CanalTech