Ferramenta, que prometia trocar rosto dos usuários em cenas famosas de filmes, está envolvido em polêmica de privacidade

O aplicativo chinês ZAO, que utiliza inteligência artificial (IA) para colocar o rosto dos usuários em cenas famosas de filmes, está envolvido em uma polêmica de privacidade. As informações são do MIT Technology Review.

Na ultima semana, o ZAO se tornou o aplicativo de entretenimento gratuito mais baixado na App Store da China. Viralizando nas redes sociais, o app tem como base algoritmos de IA utilizados para a criação de deepfakes.

Poucas horas depois de seu lançamento, o aplicativo despertou preocupação sobre a privacidade de seus usuários, principalmente, por conta de uma cláusula nos termos de uso que dava aos desenvolvedores o direito de utilizar todas as fotos carregadas no app por tempo indeterminado. A plataforma também permitia a transferência desse direito para terceiros sem a permissão dos usuários.

Especialistas jurídicos chineses afirmaram que as diretrizes do ZAO eram ilegais. Diante de toda a repercussão, o WeChat, principal rede social da China, também se manifestou e proibiu o compartilhamento de imagens do aplicativo na plataforma. Com a pressão do público e das autoridades, os desenvolvedores acabaram optando por remover a cláusula.

Fonte: ITmidia