Centro de Informações de Privacidade Eletrônica quer que a FTC reavalie a punição dada à rede social. Para entidade, acordo foi insuficiente

Centro de Informações de Privacidade Eletrônica (EPIC), entrou com uma ação na última semana para intervir no acordo feito entre a Comissão Federal de Comércio dos Estados Unidos (FTC, na sigla em inglês) com o Facebook. A tentativa é fazer com que a FTC reavalie o acordo bilionário.

Na última semana, a FTC multou o Facebook em US$ 5 bilhões após investigações do escândalo envolvendo o mal uso de dados de milhões de usuários pela consultoria política Cambridge Analytica, além de outras violações de privacidade. No entanto, o EPIC acredita que o acordo é insuficiente por se tratar de uma empresa com o porte do Facebook.

De acordo com o The News York Times, o EPIC argumenta que o acordo proposto não garante a privacidade de consumidores e concede uma espécie de imunidade ao Facebook.

O EPIC quer que o júri reveja o contrato, além de considerar as reclamações dos consumidores. Se a audiência for concedida, um juiz pode exigir que a comissão revise as reclamações dos consumidores e altere os termos do acordo.

“O pedido proposto limpa a ficha do Facebook sem que o Facebook tenha admitido culpa por suas violações de privacidade”, diz a ação.

Segundo dados revisados pelo EPIC, o Facebook acumula desde 2011 mais de 26 mil reclamações de consumidores e grupos. Só em 2018 teriam sido entregues mais de 8 mil queixas.

Fonte: ITMidia