Conclusões estão no levantamento Faces of Fraud, feito em parceria com o Information Security Media Group

O volume de fraudes detectadas pelas instituições financeiras em 2018 se manteve estável ou aumentou na comparação com o ano anterior. O mesmo ocorreu em relação aos prejuízos causados pelos incidentes. As conclusões são da pesquisa Faces of Fraud 2019, elaborada em parceria pela especialista em segurança digital Cyxtexa Technologies e o Information Security Media Group.

O levantamento aponta ainda que as principais fraudes envolveram pagamento com cartão (56%), transferências ACH/wire (49%) e phishing (44%). O estudo foi feito online e gerou mais de 150 respostas de instituições, principalmente localizadas nos Estados Unidos.

Segundo a pesquisa, 79% das instituições ouvidas afirmam que o número de incidentes permaneceu estável ou aumentou em 2018, enquanto 70% dos respondentes disseram que as perdas com as fraudes seguiram estáveis ou aumentaram.

Além disso, as principais fraudes envolveram pagamento com cartão (56%), transferências ACH/wire (49%) e phishing (44%). Dos entrevistados, 34% dizem que suas medidas antifraude dependem muito de processos manuais, o que inibe a capacidade de responder rapidamente às ocorrências quando detectadas.

Sobre os impactos que tecnologias como Inteligência Artificial, Machine Learning e biometria, por exemplo, tiveram na detecção de fraudes, 33% dos participantes afirmaram que foi um alto impacto. 37% classificaram os impactos como moderados.

Pela primeira vez, 100% dos entrevistados disseram que o orçamento dedicado à prevenção de fraudes aumentará ou continuará o mesmo em 2019. Foram citados como os principais impedimentos das organizações para melhorar a prevenção contra fraudes as barreiras técnicas (23%), quando os controles de todas as partes das instituições não conversam entre si; e experiência do consumidor (23%), uma vez que novos controles antifraude podem de alguma forma impedir a experiência do cliente com as empresas.

De acordo com os entrevistados, os principais prejuízos não financeiros causados pelas fraudes são perda de produtividade (46%) e impacto na reputação (19%).

Fonte: Security Report