A cultura e o comportamento dos usuários mudaram completamente a maneira como os gestores de segurança devem olhar para os dados, uma vez que as pessoas estão cada vez mais conectados e autônomas sobre o que fazer com as suas informações

Nunca falamos tanto sobre segurança digital. Se anos atrás era um assunto restrito aos profissionais de TI ou a empresas especializadas, hoje o tema se tornou universal. E, por mais complexo que ele possa parecer as vezes, não existe mais a opção de ignorá-lo. Nós precisamos falar mais sobre segurança digital no Brasil e sobre os efeitos que ela pode ter sobre nossos negócios. E mais importante que isso, nós precisamos saber o que é a segurança digital em 2019.

O principal ponto a ser lembrado quando falamos sobre proteção de contas, dados, devices e redes online é que todos nós, pessoas e empresas, somos igualmente responsáveis pela nossa própria segurança nos dias de hoje. Não podemos mais terceirizar esta responsabilidade. Com o processo de Transformação Digital em ritmo acelerado e uma cultura de anywhere office adotada por um número cada vez maior de empresas, a proteção da infraestrutura digital se tornou apenas uma das etapas necessárias para criar um ecossistema digital verdadeiramente seguro. É preciso que se construa uma verdadeira cultura de empresas e usuários em torno de um sistema preparado para as ameaças de hoje.

Em um mundo e ambiente de negócios 100% móvel, baseado em serviços e estruturas em nuvem, essa cultura em torno da segurança digital passa necessariamente pela criação de protocolos de treinamentos e diretrizes dentro das empresas que precisam ser seguidas à risca, para além do espaço do escritório. Estabelecer diretrizes rígidas para acessos remotos por VPNs, acesso em duas etapas, uso de redes wi-fi não confiáveis e até mesmo uso de redes sociais por meio de dispositivos ou logins da empresa é fundamental. São cuidados básicos que não devem mais ser negligenciados no dia a dia de uma empresa.

São hábitos que podem, em um primeiro momento, gerar certo aborrecimento. Afinal, quem nunca reclamou de ter que esperar um código por SMS para poder se logar ao email de trabalho, quando se tem algo urgente para resolver? Mesmo restritivos, estes procedimentos aos poucos ajudam a moldar nossos hábitos, não apenas evitando que os hábitos do uso pessoal acabem contaminando os momentos em que estamos trabalhando, mas permitindo o caminho contrário aconteça. Precisamos lembrar: os dados são os mesmos. Em casa ou no trabalho, não existe um ambiente que permita um hábito menos seguro que o outro.

A próxima década vai ser marcada pela maior transformação digital que se tem notícia. Cada aspecto de nossas vidas estará conectado em redes intuitivas e intercomunicáveis, com uma constante troca de dados entre pessoas, empresas e governos. Segundo estimativa da Cisco, em 2020 serão 50 bilhões de dispositivos conectados, que trocarão estes dados entre si. É um futuro próximo em que o mundo se tornará ainda mais digital, inteligente e acessível a todos, desde que ele seja seguro. Uma segurança que vai depender de todos.

 

* Ghassan Dreibi, Líder de Segurança Digital da Cisco do Brasil

Fonte: Security Report