O primeiro serviço está disponível no site do Serasa Antifraude de forma gratuita, aponta se seu e-mail foi vazado na Dark Web e dá orientações de procedimentos de segurança

Uma pesquisa exclusiva do Serasa Consumidor para mapear qual a intimidade dos usuários da internet  revelou que 38% dos consumidores entrevistados nunca ouviram falar no termo Deep Web, e apenas 2% souberam explicar o que é Dark Web. Ainda de acordo com o levantamento, 91% dos consumidores dizem não conhecer nenhuma forma de checar se seus dados estão sendo exibidos de maneira indesejável.

Tags

O anonimato é um dos maiores atrativos para quem faz uso dessa parte da internet, já que permite traficar bens roubados, drogas, armas, materiais ilegais, conteúdos censurados ou até mesmo participar de grupos de ódio, extermínio (como noticiado recentemente na cidade de Suzano) e crimes que envolvem compra e venda de informações das pessoas para práticas de estelionatos, pedidos de crédito e golpes em geral.

Com esses importantes indicativos em mãos e sabendo que as pessoas estão cada vez mais conectadas e expostas à golpes online, o Serasa Antifraude, que além de ofertar soluções para os consumidores que desejam manter seus documentos protegidos, agora passa a oferecer monitoramento de informações na Dark Web.

O primeiro serviço, que está disponível no site do Serasa Antifraude de forma gratuita, aponta se seu e-mail foi vazado na Dark Web, e mais importante: faz esse monitoramento e alerta, avisando o consumidor sobre qualquer exposição e dando orientações de procedimentos de segurança.

Já a versão paga do produto, indica em qual site seu e-mail foi vazado e/ou comercializado. Outra importante informação que causa uma preocupação imediata, se deve ao fato do site mostrar em tempo real o número aproximado de dados vazados desde que o usuário acessou a página do Serasa Antifraude. A velocidade com que o número aumenta é assustadora.

Para William Oliveira, gerente do Serasa Antifraude, a missão do produto é ajudar o consumidor brasileiro a se proteger de todo tipo de fraude, garantindo conhecimento e controle sobre dados pessoais.

Segundo o Serasa Consumidor, o Brasil tem mais de 25 milhões de dados violados, sendo o 5º país com mais vazamentos de informações. Ladrões de identidade podem utilizar dados pessoais para abrir novas contas e realizar compras, apresentar declarações falsas de impostos, alugar ou comprar propriedades, roubar patrimônios e ainda fazer muitas outras ações criminosas.

Na pesquisa feita pelo Serasa Consumidor, foi questionado como os usuários estão se protegendo atualmente: 63% dos ouvidos informaram que tomam cuidados frequentes. Os mais citados foram:

– 41% dizem usar e atualizar antivírus com frequência;

– 20% só navegam em sites confiáveis;

– 5% procuram ao máximo não expor nenhum dado na internet;

– 4% não salvam nenhuma senha, dados pessoais ou financeiros.

O Serasa Antifraude pode ajudar a monitorar dados em todo o mundo, alertando se informações pessoais on-line foram comprometidas. No momento em que o vazamento é descoberto, o usuário poderá reagir rapidamente, tomando algumas medidas de segurança para se proteger:

– Acompanhar seu extrato bancário, ficando atento a transações desconhecidas;

– Evitar compartilhar dados pessoais por e-mail: nome, CPF e conta bancária;

– Substituir as senhas atuais por outras mais eficientes, exclusivas e seguras;

– Cancelar rapidamente cartões bancários, fazer um boletim de ocorrência e ativar o alerta de documentos no Serasa;

–  Atenção à e-mails de origem desconhecida;

– Evitar compartilhamento de dados pessoais por e-mail e/ou rede sociais;

– Desconfiar de ligações que solicitem a confirmação de dados pessoais.

Fonte: Security Report