Autor: Luis Osvaldo Grossmann

O Conselho Nacional de Justiça sofreu um vazamento de dados na madrugada desta segunda-feira, 1º/4, decorrência de um ataque hacker. Foram divulgados nomes completos, números de contas bancárias, telefones, CPFs e senhas de pessoas que já utilizaram os serviços do CNJ.

“Nesta segunda-feira (1/4), o portal do Conselho Nacional de Justiça na Internet foi objeto de ataque de hackers”, informou o CNJ por meio de uma nota oficial sobre o incidente. O órgão sustenta que nenhum sistema processual eletrônico foi afetado.

“Nenhum sistema de informações processuais, como PJe (Processo Judicial Eletrônico), o BNMP (Banco Nacional de Monitoramento de Prisões) e o SEEU (Sistema Eletrônico de Execução Unificado), foi afetado. O CNJ acionou as autoridades e tomou as medidas necessárias para apurar os fatos e manter a segurança do portal”, completa o CNJ.

No entanto, segundo informações divulgadas pelo Rogue Media Labs, há identificação de informações pessoais de 2.936 pessoas, incluindo logins, de 94 bases de dados. Isso apenas nos arquivos que foram divulgados na internet. O arquivo total conteria nomes, e-mails, endereços físicos, números de telefone, CPFs e senhas de 53.270 pessoas no total.

O ataque foi assumido por uma pessoa identificada como ‘Al1ne3737’, associada a um conhecido grupo internacional de hackers chamado ‘Pryzraky’. No ataque, além de ‘F*cking Brazil’, uma mensagem em Bahasa Indonésia, a língua oficial da Indonésia, dizendo:

“Uma criança nascida hoje crescerá sem uma concepção de privacidade. Eles nunca saberão o que significa ter um certo momento para si pensamentos que não são registrados e não analisados. E isso é um problema porque a privacidade é importante; a privacidade é o que é possível devemos determinar quem somos e quem queremos ser.”

Fonte: Convergencia Digital