No Brasil, o potencial é maior em autenticação segura para o transporte público; consumidores no mundo inteiro autenticam sua própria identidade, em média, de 30 a 40 vezes por dia.

Estudo global da Visa sobre serviços e tecnologias de autenticação avaliou em US$ 161 bilhões o total das oportunidades nesse mercado. Realizado em parceria com a Euromonitor International Ltd, o estudo “Assessing Global Authentication Opportunities”, identificou os momentos mais comuns em que os consumidores têm de autenticar sua própria identidade por segurança e com qual frequência o fazem. Assim, chegaram a uma maneira quantificável de avaliar cada ação como uma oportunidade de investimento e retorno.

A pesquisa considera como autenticação a evidência que uma pessoa fornece para certificar que é quem diz ser. Cada momento ou processo de autenticação varia, e pode ser tão simples quanto inserir um código ou senha de seis dígitos ou tão avançada quanto uma análise facial ou de retina, por exemplo. Os consumidores realizaram globalmente cerca de 52 trilhões de momentos de autenticação em 2016. Com base na população global daquele ano, isso significa que cada adulto autentica sua identidade, em média, 30 a 40 vezes por dia.

Quatro mercados-chave foram estudados: Estados Unidos, Reino Unido, Brasil e Cingapura. Estados Unidos e Reino Unido foram escolhidos como grandes mercados consumidores tecnologicamente avançados, onde haveria momentos de autenticação plenamente estabelecidos. Já Brasil e Cingapura representam mercados emergentes, onde o avanço nos pagamentos digitais e a maior aceitação de novas tecnologias pelos consumidores são notáveis.

Ao todo, foram identificados 175 momentos de autenticação de segurança. Embora tenha contabilizado momentos já comuns em nossas vidas – como desbloquear o smartphone com a digital e analisar o saldo da conta bancária online -, o estudo identifica também outros momentos não tão óbvios, como check-in para consultas médicas e votação em eleições. A maioria desses momentos são das indústrias de: Finanças (46), Governo (23), Defesa (16), Segurança pessoal (15) e Medicina (12).

A pesquisa identifica ainda oportunidades atraentes para a integração dos serviços atuais e o que pode ser integrado no futuro, como implementar a tecnologia de autenticação em transações digitais, serviços eletrônicos governamentais e logins de propriedade digital. Em um futuro muito próximo, a Internet das Coisas (IoT), os serviços médicos e de transporte são as áreas em que a necessidade de autenticação será cada vez mais latente.

Um caso que merece ser destaque quando pensamos em autenticação já existente no Brasil é a solução lançada em 2017 pelo Neon em parceria com a Visa , que permite que seus clientes portadores de cartões Visa autentiquem suas compras online por meio de uma selfie – além das opções de utilização da digital e da tradicional senha numérica. A inovação oferece uma experiência de pagamento segura e 100% digital, além de ser mais uma opção que o consumidor pode optar ao se identificar.

Fonte: Security Report