Estudo da SonicWall aponta aumento massivo de malware, ataques criptografados e ransomware; conhecer ameaças é imprescindível para a luta contra organizações cibercriminosas; acesse o relatório completo

As ameaças cibernéticas cresceram substancialmente durante o primeiro semestre deste ano. A informação foi revelada recentemente pelo novo Relatório de Ciberameaças da SonicWall 2018, que apontou um aumento significativo no volume de malware, em ataques de ransomware e em ações maliciosas criptografadas.

O volume de malware não mostrou sinais de diminuição durante o primeiro semestre de 2018 e continua crescendo desde os níveis recordes de 2017. Foram registrados 5,99 bilhões de ataques de malware durante os dois primeiros trimestres do ano. Nesse mesmo período, em 2017, a SonicWall registrou 2,97 bilhões de ataques desse tipo.

Já os ataques de ransomware – que tiveram uma queda significativa de 645 milhões para 184 milhões entre 2016 e 2017 – voltaram com força total. Somente nos primeiros seis meses de 2018, já somam a quantia de 181,5 milhões de ataques, representando um aumento de 229% em relação ao mesmo período de 2017.

Os pesquisadores da SonicWall também constataram que os ataques criptografados estão crescendo massivamente, acompanhando o uso cada vez mais crescente de criptografia. Em 2017, a companhia relatou que 68% das sessões foram criptografadas pelos padrões SSL/TLS. Nos seis primeiros meses de 2018, 69,7% das sessões estão utilizando criptografia. Ataques criptografados aumentaram 275% em comparação com este período em 2017.

É diante desse contexto que a inteligência sobre ameaças cibernéticas é uma arma fundamental na luta das empresas contra organizações criminosas. Desde os anos 90, a SonicWall tem usado o aprendizado de máquina para coletar, analisar e alavancar dados de ameaças cibernéticas.

Esse compromisso com a inovação e tecnologias emergentes é parte dos fundamentos que ajudam a fornecer inteligência acionável sobre ameaças, segurança eficaz e soluções de detecção e prevenção automatizada de violações em tempo real para nossos parceiros e clientes globais”, afirma Bill Corner, CEO da SonicWall.

Os dados da nova versão do Relatório foram coletados pela SonicWall Capture Threat Network e reúnem informações de dispositivos e recursos globais, incluindo mais de 1 milhão de sensores de segurança em quase 200 países e territórios.

Para ter acesso ao estudo completo e ver como as ameaças evoluíram nos últimos seis meses, acesse o Relatório de Ameaças Cibernéticas 2018 da SonicWallclicando aqui.

Fonte: Security Report