De acordo com nova reportagem do The Intercept, gigante de Mountain View inclusive já teria mostrado o aplicativo de codinome Dragon Fly ao governo local.

O Google planeja lançar uma versão censurada da sua plataforma de buscas na China para atender às exigências do governo local, segundo o The Intercept.

Conforme a reportagem, que cita documentos internos vazados da companhia e pessoas próximas do assunto como fontes, o aplicativo possui o codinome Dragonfly e teria mecanismos para barrar “buscas sensíveis” e filtrar páginas bloqueadas pelos censores da Chinesa – a lista inclui a Wikipédia e a BCC News.

“O aplicativo já foi demonstrado para o governo chinês; a versão finalizada poderá ser lançada nos próximos seis a nove meses, dependendo da aprovação dos oficiais chineses”, aponta o texto do jornalista Ryan Gallagher.

De acordo com o site, a companhia de Mountain View já trabalha desde o início de 2017 nesta versão censurada do seu buscador – e acelerou o ritmo neste ano após um encontro entre o CEO do Google, Sundar Pichai e um oficial importante do governo chinês, conforme apontam.

Esse suposto lançamento marcaria a volta do buscador do Google ao mercado chinês. Isso porque a empresa encerrou o serviço de buscas no país asiático no já longínquo ano de 2010 após tentativas do governo local de “limitar a liberdade de expressão na web”.

Fonte: IDG Now