O órgão regulador britânico de informação vai aplicar pena máxima possível ao Facebook por conta da violação da lei de proteção de dados, depois que milhões de dados de usuários foram indevidamente acessados ​​pela consultoria Cambridge Analytica. A multa será de 500.000 libras (663.850 dólares), mas ela equivale a menos que 10 minutos de receita da empresa de mídia social que vale 590 bilhões de dólares.

O presidente-executivo do Facebook, Mark Zuckerberg, foi questionado por parlamentares dos EUA e da União Europeia sobre como a Cambridge Analytica acessou indevidamente dados pessoais de 87 milhões de usuários do Facebook coletados por um pesquisador. A empresa prometeu introduzir reformas em suas políticas antes das eleições locais na Grã-Bretanha no próximo ano.

Atualizando sua investigação sobre o uso de análise de dados por campanhas políticas, a agência de direitos de informações do Reino Unido (ICO, na sigla em inglês) disse que vai multar o Facebook, embora a empresa possa responder à comissária antes que uma decisão final seja tomada. A comissária de Informação, Elizabeth Denham, sustentou que o Facebook infringiu a lei ao não proteger as informações das pessoas e não foi transparente sobre como os dados foram coletados por outras pessoas em sua plataforma.

“As novas tecnologias que usam análise de dados para restringir alvos dão às campanhas capacidade de se conectar com eleitores individuais. Mas isso não pode ser feito à custa da transparência, justiça e conformidade com a lei”, disse, em um comunicado à imprensa. A Inglaterra ainda não aplicou os montantes determinados pelo Regulamento Geral de Proteção de Dados da União Europeia (GDPR), que podem chegar a até 4% da receita por violações de dados.

Fonte: Convergencia Digital