Soluções permitem garantir que ativos estejam dentro das normas e regulamentos de segurança da informação e possibilitam o fácil gerenciamento do constante fluxo de mudanças no ambiente de TI da companhia.

Na era da revolução digital, falar sobre cibersegurança tem se tornado indispensável no ambiente corporativo. E não é para menos, uma vez que ataques cibernéticos ocorrem com cada vez mais frequência.

 

Isso porque, incidentes relacionados à falta de segurança na rede podem causar uma série de prejuízos para as empresas, como perdas financeiras, queda das ações e do valor do acionista e, consequentemente, danos à reputação.

 

O assunto complexo é cotado como um dos problemas mais impactantes enfrentados pelas companhias atualmente, e criar um escudo contra invasões nos sistemas é um dos grandes desafios da maioria das empresas. Mas como será que elas se preparam para possíveis incidentes?

 

Sabe-se que investir em cibersecurity e implementar uma cultura de segurança é vital para qualquer negócio e algumas medidas práticas podem prevenir crises e mitigar riscos que, até então, a empresa sequer havia imaginado.

 

Onde estão as ameaças

 

Um levantamento realizado pela KPMG indicou que ataque a e-mails, engenharia social e malware/ransomware estão no Top 3 como as principais ameaças para as empresas. Mas vale ressaltar que no ambiente cibernético elas estão em constante evolução. Por isso, é preciso criar um ambiente efetivo e seguro em todas as frentes e possibilidades.

 

Medidas preventivas

 

Dentro das empresas, conscientizar pessoas é uma das principais medidas para que diversas situações de riscos sejam evitadas. Mas investir em tecnologias tem se mostrado essencial no processo.

 

Ferramentas de Governança, Risco e Compliance, por exemplo, podem ajudar uma organização a operacionalizar, manter e aperfeiçoar seus programas de cibersecurity. Além disso, a tecnologia implementada nesse processo permite garantir que os ativos estejam dentro das normas e regulamentos de segurança da informação e possibilita o fácil gerenciamento do constante fluxo de mudanças no ambiente de TI da companhia.

 

Ou seja, munir a organização com uma série de ações e investir em mecanismos de defesa e prevenção são alguns caminhos que corroboram para uma cultura de segurança de dados corporativos.

 

* Claudinei Elias é Managing Director para América Latina da Nasdaq BWise

Fonte: Security Report