De acordo com Erick Lemos, coordenador da Equipe de Resposta a Incidentes de Segurança da Real Protect, as principais características que fazem um especialista ser competitivo são adaptabilidade, profissionalismo, autocrítica e visão holística.

Normalmente, quando se pensa numa vaga em qualquer área de Tecnologia da Informação, os primeiros requisitos que vêm à cabeça são bagagem teórica, formação acadêmica, cursos, etc. E, embora o conhecimento técnico seja fundamental, ele por si só não representa um diferencial para Segurança da Informação.

O profissional de Segurança da Informação lida com um cenário extremamente dinâmico e atua constantemente com outros setores da empresa, além possuir uma grande responsabilidade sobre suas atividades.

O mercado de tecnologia evoluiu muito nos últimos anos e, consequentemente, as exigências para ingressar e se manter nele também. Habilidades teóricas são indispensáveis, mas algumas características comportamentais são determinantes para obter sucesso nesse segmento tão competitivo.

Então, o que é realmente importante para quem quer trabalhar com Segurança da Informação?

De acordo com Erick Lemos, coordenador da Equipe de Resposta a Incidentes de Segurança da Real Protect, as principais características que fazem um profissional de SI se tornar competitivo no mercado são: adaptabilidade, profissionalismo, autocrítica e visão holística.

Lemos explica que, para se tornar competitivo, o profissional de SI precisará não apenas ter o conhecimento, como também deverá saber como aplicá-lo em diversos contextos. Além disso, terá que ser capaz de se comunicar muito bem. A comunicação ocorre com outras áreas técnicas e também com setores e pessoas que não possuem contato próximo ou conhecimento em tecnologia. A comunicação eficiente com profissionais de outras áreas, principalmente não técnicas, é um grande diferencial. Por fim, a ética e maturidade são fundamentais, já que o profissional de SI lida com acesso a muitos dados, normalmente contendo informações sensíveis e confidenciais.

“Ao longo dos últimos anos houve uma mudança no perfil do profissional de SI. A partir do lançamento de novas tecnologias de automação no mercado – Big Data, Machine Learning, entre outros – e sua aplicabilidade dentro do cenário de segurança, o profissional de Segurança da Informação também precisou se adaptar a esta nova realidade, pois necessitou de um conjunto de habilidades diferente do profissional de 20 anos atrás”, afirma Lemos.

Segundo ele, esse novo profissional de SI precisou se tornar muito mais analítico e desenvolver uma visão holística e estratégica do negócio. A visão de SI se expande sobre outras áreas e processos, como a programação segura, o envolvimento com infraestrutura, a definição de políticas junto à Governança e a apresentação de riscos e planos de continuidade de negócios.

Fonte: Security Report