Segundo Jon von Tetzchner, as pessoas devem se ficar atentas com a coleta de dados por empresas de tecnologia, porque isso dá a elas uma visão da vida dos usuários, em situação comparável à distopia “1984” de George Orwell.

As pessoas devem se preocupar com a coleta de dados por empresas de tecnologia, porque isso dá a elas uma visão sem paralelo da vida dos usuários, disse o criador do navegador de Internet Opera, nesta quinta-feira.

Jon von Tetzchner disse que a situação já é comparável à distopia “1984”, de George Orwell, já que “todos estão sendo seguidos e a informação de todos está sendo coletada”.

A falta de conhecimento sobre a quantidade de dados colhidos é “uma tempestade perfeita para uma idéia muito ruim”, disse ele à Reuters na conferência Web Summit, em Lisboa.

Von Tetzchner criou a Opera em 1996 e agora está promovendo seu novo navegador, Vivaldi, que ele diz que soluciona melhor as preocupações em relação à privacidade.

A Opera ganhou 350 milhões de usuários e proeminência no mercado de dispositivos móveis, mas ele deixou a empresa em 2011 porque não concordava com a venda do navegador para um consórcio chinês.

Desde então, ele lançou o Vivaldi, que inclui funções que, segundo ele, os navegadores maiores não possuem. O Vivaldi.net não rastreia buscas e é baseado em uma comunidade online de usuários que recomendam recursos, disse ele.

O navegador tem atualmente 1 milhão de usuários mas Von Tetzchner afirmou que o programa tem passado por taxa de expansão exponencial e que a empresa vai lançar uma versão para dispositivos móveis em breve.

Fonte: Security Report (* Com informações da Agência Reuters)