Uma extensão do Chrome usada por cibercriminosos brasileiros foi removida pelo Google da loja de aplicativos do navegador. Ela tinha como alvo usuários corporativos, com o objetivo de roubar credenciais bancárias.

Os hackers usavam redes sociais para identificar as pessoas dentro das empresas responsáveis por transações financeiras. Então eles ligavam para as vítimas e pediam a atualização no módulo de segurança do banco, sem a qual o acesso à conta seria bloqueado.

As vítimas instalavam uma extensão do Chrome chamada Interface Online (veja abaixo), da Internet Security Online.

Renato Marinho, diretor de pesquisa da Morphus Labs e membro do SANS Internet Storm Center, divulgou o golpe. Ele disse que os hackers estão concentrados em apenas alguns alvos corporativos e o malware tem relativamente poucas detecções no VirusTotal.

Fabio Assolini, analista sênior de malware da Kaspersky no Brasil, disse que o ataque foi encontrado em 8 de agosto e os servidores de comando e controle foram identificados e bloqueados pelos produtos da empresa. Mas o servidor C2 ainda está funcionando, afirma Marinho. Ele confirmou que este não era um ataque generalizado e que outros atacantes usaram extensões maliciosas em outros ataques no Brasil, incluindo alguns que visam boletos.

O telefonema tinha instruções sobre como atualizar o suposto módulo de segurança. A vítima devia acessar um endereço web e, ao clicar em “Instalar”, era redirecionada para a página da extensão na Chrome Store. O código malicioso capturava os dados inseridos na página do banco.

Fonte: Kaspersky