Autor: Lucas Carvalho

“Mr. Robot” é uma série de ficção sobre Elliot Alderson, um hacker por trás de um coletivo anônimo chamado fsociety, responsável pelo maior ciberataque da história. O programa chamou a atenção da crítica e do público principalmente pelo realismo com que representa a tecnologia, a cultura hacker e os riscos de cibersegurança do mundo real.

A série é exibida no canal norte-americano USA e, no Brasil, pela emissora de TV por assinatura Space. Contudo, por muito pouco “Mr. Robot” não foi uma produção original da Netflix, exibida unicamente pelo serviço de streaming juntamente a outros títulos consagrados da empresa, como “House of Cards” e “Narcos”.

Em uma longa entrevista publicada na ultima semana, pela Variety, Ted Sarandos, vice-presidente de conteúdo da Netflix, além de falar sobre os planos de investimento da empresa em conteúdo original para 2018, também revelou que a Netflix recebeu dos produtores de “Mr. Robot” a oferta de exibir a série como uma produção original, antes que ela chegasse ao canal USA.

Por motivos não detalhados, a ideia para a série foi rejeitada pelos executivos da Netflix, assim como outras produções que, mais tarde, foram parar na concorrência. “Muitas vezes, não tem a ver com a série, é mais uma questão de timing”, disse Sarandos. “Nós vimos ‘Handmaid’s Tale’ três ou quatro anos atrás. Não estava na forma criativa em que está agora. ‘Mr. Robot’ é uma série que perdemos. De um jeito estranho, ela poderia ter sido uma série melhor na Netflix”, disse o executivo.

Fora da TV, “Mr. Robot” é exclusividade do serviço de streaming Amazon Prime, disponível no Brasil por US$ 3 mensais. A terceira temporada estreia em outubro.

Fonte: Olhar Digital