O Gartner divulga que a receita mundial de software de segurança totalizou US$ 22,1 bilhões em 2015, o que representa um aumento de 3,7% em relação ao ano anterior. O Gerenciamento de Segurança da Informação e de Incidentes (SIEM) é o segmento que mais cresceu em 2015, com aumento de 15,8%, enquanto o de software de segurança para o consumidor registrou uma queda mais acentuada, com 5,9% de um ano para outro.

Os cinco principais fornecedores de software de segurança representaram juntos 37,6% da participação de mercado da receita nessa área, com queda de 3,1% em relação a 2014. Essas empresas também apresentaram uma queda coletiva de 4,2% em 2015, enquanto o restante do mercado teve um forte aumento de 9,2% de um ano para o outro.

“O crescimento abaixo do mercado visto por esses grandes fornecedores com complexos portfólios de produtos contrasta com a elevação do setor e com a mudança que vem sendo introduzida por menores e mais especializados fornecedores de software de segurança”, afirma Sid Deshpande, Analista de Pesquisas do Gartner.

O Gartner indica que a Symantec manteve a primeira posição no ranking, embora a empresa esteja em seu terceiro ano consecutivo de queda da receita, a maior nos últimos três anos. Sua receita de software de segurança diminuiu 6,2%, chegando a US$ 3,4 bilhões. Em 2015, 74% do faturamento da Symantec foi gerada pelas categorias Consumidor e Endpoint Protection Platform (EPP) (plataforma de proteção de endpoint), que juntas apresentaram queda de 7%, sendo as principais responsáveis pela redução dos rendimentos da empresa.

A receita de software de segurança da Intel também diminuiu em 2015, com uma queda de 4,1%, chegando a US$ 1,75 bilhão. Mais uma vez, o declínio nos mercados Consumidor e EPP, que representaram 75% do faturamento da Intel no ano passado, contribuiu em grande parte para a redução de receita da empresa. A IBM foi a única entre os cinco principais fornecedores que apresentou crescimento. A receita de software de segurança da companhia cresceu 2,5%, totalizando US$ 1,45 bilhão em 2015, impulsionada pelo seu desempenho positivo no segmento de SIEM e pelo seu expressivo portfólio de serviços, que gera faturamento para sua oferta de produtos.

Fonte: Risk Report