Autor: Luis Osvaldo Grossmann

Detentores de direitos autorais enviaram em julho ao Google pedidos para a retirada de 49,3 milhões de links dos resultados de buscas, com base na legislação americana (DCMA) que não exige ordem judicial nos casos que envolvem direitos autorais. Em média, são 18 links excluídos por segundo.

O ritmo só faz crescer. Quando o ano de 2015 começou, foram três meses até o número de pedidos bater nos 100 milhões de links – agora alcançado em dois meses. Ao longo de 2014, o total de pedidos listou 345 milhões de URLs, ou cerca de 28 milhões por mês.

O número do ano passado já representava uma alta de 75% no ritmo de pedidos com base no sistema de ‘notice & takedown’ – ou ‘pedidos & remoções’ – previstos no Digital Copyright Millenium Act. A lei é americana, mas entre os maiores requerentes está a BPI, que representa os interesses das gravadoras musicais britânicas.

O topo da lista envolve filmes e músicas, mas hoje são empresas especializadas nesse tipo de ‘notice & takedown’ que figuram no lugar de grandes estúdios ou gravadoras. Assim, são firmas como Rivendell e Dagban que concentram, nesse caso, 8,1 milhões e 7,1 milhões dos pedidos feitos em julho.

Fonte: Convergência Digital