A Secretaria de Segurança de Goiás contará com um amplo sistema de biometria no estado, que contempla a tecnologia AFIS (Automated Fingerprint Identification System – Sistema automático de identificação de impressão digital) desenvolvido pela  NEC. A implementação do sistema será feita pelo consórcio formado pelas empresas OKI Brasil e a BioLogica Sistemas, ambas do grupo OKI.

O contrato, estimado em R$ 33,8 milhões, garantirá a digitalização de todo o arquivo existente de fichas datiloscópicas (registros de impressões digitais em papel) e dos novos cadastros. O programa deverá atender a mais de 8 milhões de cidadãos e será implantado nos próximos 12 meses.

A solução AFIS da NEC é baseada na tecnologia biométrica e tem por objetivo unificar os bancos de dados dos brasileiros, permitindo diversos avanços no que diz respeito à segurança de identidade, o que facilita a o cotidiano dos cidadãos em variados aspectos.

“O AFIS pode ser utilizado em sistemas policiais para agilizar a identificação de pessoas, auxiliando a solução de crimes, por exemplo. No âmbito civil, evita delitos de falsificação na emissão de registros de identidade de documentos, passaportes, habilitação de motorista, entre outros”, explica Massato Takakuwa, diretor de negócios para a área de Governo da NEC no Brasil.

A identificação de impressões digitais automatizada está baseada no processamento dos pontos característicos das impressões digitais (chamado minúcias). O sistema proporciona alta precisão, independentemente do tamanho da base de dados.

As imagens das impressões digitais são recebidas e o sistema extrai automaticamente as minúcias, classifica os tipos de padrões, realiza a busca na base de dados e reporta o resultado, otimizando a intervenção humana nos processos referentes à identificação.

“Atualmente, a emissão de documentos no estado leva até 60 dias. Com o Programa Goiás Biométrico haverá uma grande agilidade em todo o sistema”, ressalta Takakuwa. “Sem dúvida, este serviço otimizará os processos, pois haverá uma única fonte de cadastros, evitando duplicidade, o que reduz custos operacionais para o setor público em Goiás”, complementa o executivo.

Entre as vantagens com a implementação deste projeto destacam-se: emissão de documentos com garantia de unicidade em até três dias (na capital) e cinco dias (no interior); aumento estimado de até 35% na identificação da autoria de crimes; auxílio na identificação de cadáveres, indigentes e pessoas desaparecidas (casos de amnésia, problemas mentais etc.), bem como identificações em desastre de massa; além de possibilitar a criação das abordagens biométricas, na qual o agente de segurança terá um dispositivo para leitura da digital em tempo real, possibilitando a identificação do cidadão e realizando a consulta de restrições criminais (mandados de segurança, medidas protetivas etc.).

Fonte:  Convergência Digital