Dentre as principais preocupações das empresas, a segurança de dados figura como uma das principais. Os altos investimentos em políticas que tornem a sua infra-estrutura mais segura são cada vez mais necessários e frequentes. Paralelo a essa preocupação, existe um novo cenário que já está estabelecido com o crescimento do uso de diversos dispositivos por funcionários e clientes dentro de suas dependências ou mesmo em outras vias de acesso. Esse é o chamado BYOD, sigla para “Bring your own device” (ou “traga seu próprio dispositivo”).

A prática é recente e tem o seu potencial reconhecido pela maioria das empresas. Segundo uma pesquisa, que entrevistou mais de 600 líderes dos mercados de Tecnologia da Informação e de negócios dos Estados Unidos, 95% das empresas norte-americanas já permitem que os funcionários utilizem os dispositivos de sua propriedade no local de trabalho. Além disso, 84% dão apoio técnico ou funcional, e 36% assistência completa para qualquer aparelho que o empregado traz para o ambiente profissional (smartphone, tablet, notebook etc). Outro aspecto favorável da prática é o financeiro. Com a utilização de seus próprios dispositivos, a empresa não tem a necessidade de se responsabilizar com uma manutenção constante de um conjunto de computadores desktop, por exemplo. Sem falar no ganho de agilidade e dinamismo que a mobilidade proporciona.

Mesmo com toda essa adesão, a prática ainda oferece um desafio para as organizações quanto ao quesito segurança. Embora as empresas visualizem a importância do BYOD, elas percebem que a utilização de aparelhos pessoais para trabalho (ou o uso pessoal de aparelhos do trabalho) tem contribuído para o crescimento de ameaças à segurança corporativa. De acordo com um estudo da Kaspersky, 65% das companhias percebem esse perigo. Analisando os dois lados da moeda podemos perceber que o BYOD deixou de ser uma tendência e passou a ser um uma realidade desafiadora para as organizações. Assim, está configurada uma oportunidade para que profissionais e empresas focadas em segurança da informação trabalhem no desenvolvimento de políticas que minimizem os riscos e façam da prática algo benéfico, rentável e seguro.

Fonte: Portal Yahoo e Modulo Security