Dados do governo revelam que 295 empresas demonstraram interesse em participar da primeira fase do programa Inova Telecom, proposta pelo governo com o objetivo de apoiar o desenvolvimento de novos equipamentos e tecnologias para as telecomunicações. Juntos, esses projetos geraram uma demanda de investimento de R$ 7,5 bilhões, um aporte cinco vezes maior do que os recursos destinados ao programa.

De acordo com o secretário adjunto do Fundo para o Desenvolvimento Tecnológico das Telecomunicações (Funttel), Eder Alves, as empresas responderam ao chamado do governo por enxergarem que financiamento gera oportunidade de negócios. “Isso é um sinal de que o edital foi bem feito, delimitou bem as áreas de interesse e aproveitou um momento bom do setor”, analisa.

O balanço feito pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) revela que os projetos foram bem distribuídos nas áreas contempladas pelo programa: 123 são direcionados para as comunicações ópticas; 150 para comunicações sem fio e 124 para telessaúde; 127 empresas querem trabalhar com transporte de dados e 151 pretendem atuar na área de comunicação estratégica, desenvolvendo, por exemplo, soluções de segurança para as redes.

Até o dia 24 de fevereiro, a Finep deve concluir a segunda etapa do processo que, segundo o secretário do Funttel, é uma espécie de triagem das empresas e das propostas. Além disso, um workshop deve ser realizado em março com as empresas e os institutos de Ciência e Tecnologia, para fomentar parcerias. “A ideia é ver quais os projetos têm temática parecida e poderiam compor um projeto conjunto”, explica Eder.

Fonte:  Convergência Digital