sochi2Para os profissionais de TI, as competições estão longe de serem as únicas atrações dos Jogos Olímpicos de Inverno que acontecem em Sochi, na Rússia. Também vale a pena prestar  atenção à rede de comunicações nos jogos. Este ano marcou uma série de estreias para a arquitetura de rede, incluindo desenvolvimentos em que pela primeira vez foram instaladas redes novas, redes virtuais e IPTV. Além disso, são os primeiros jogos a oferecer WiFi gratuito para os membros olímpicos, e têm um dos maiores ambientes de BYOD já implementados.

A fornecedora da rede olímpica, a Avaya, foi também a fornecedora para os Jogos de Inverno de Vancouver, há quatro anos. A empresa foi capaz de, a partir da experiência ganha em Vancouver, construir a primeira rede all-IP para suportar os jogos, bem como ter um design virtual do campus, routers com aplicações específicas e uma rede de camada 2 (“flat layer 2 network”).

A rede de Sochi é um bom exemplo do poder e da escala de uma estrutura de rede, e é uma boa plataforma para a Avaya mostrar as suas capacidades de rede. A escala da rede é cerca de três vezes maior do que a do recente Super Bowl, exceto que a rede precisa de funcionar durante 17 dias consecutivos em vez de apenas um.

Eis alguns dos atributos da rede de Sochi :
– backbone de 54 terabits
– 2.000 switches Ethernet
– 50 mil portas Ethernet
– 2.500 pontos de acesso sem fio
– 36 canais em HD (alta definição)
– 1.500 ecrãs IPTV
– 6.500 telefones VoIP

A rede tem de suportar os seguintes locais e indivíduos :
– 11 locais de competição
– dois centros de dados
– dois centros de operações
– três vilas olímpicas
– dois centros de media
– dois centros de eventos de celebração
– quase 50 mil usuários de rede, não incluindo os adeptos presentes, mas 5.5 mil atletas, 14 mil jornalistas e 25 mil voluntários

A rede em Sochi prenuncia como as redes serão construídas no futuro. Entendo que o caminho para este tipo de rede para a maioria das empresas pode ser lenta, e a migração para a virtualização de redes ser difícil, vale a pena olhar para a rede de Sochi para ter uma compreensão do que é possível.

O projeto da rede é baseado na arquitetura VENA, da Avaya, que realmente promoveu o conceito de serviços virtuais antes das SDN [“software defined network”] estarem na moda. O “hub” da rede é um data center dinâmico que, na verdade, consiste de dois data centers físicos geograficamente redundantes que alavancam um núcleo de alto desempenho e uma camada distribuída de baixa latência para um projeto de rede fixa.

Ao ligar-se ao data center, usam-se serviços virtuais que sustentam a tecnologia Fabric Connect, da Avaya, baseada no protocolo IEEE Shortest Path Bridging (SPB), em vez do envelhecido protocolo de expansão em árvore. Esta parte da rede é, na realidade, uma infraestrutura em nuvem que tem taxas de recuperação de 20ms para um mínimo de paralisação.

Por último, uma plataforma inteligente conecta os vários locais. A tecnologia Fabric Connect foi estendida a cada local, permitindo que qualquer serviço possa ser entregue em cada ponto da rede para um acesso escalável e seguro na rede sem fios.

Sobre a rede física, foram criadas sete camadas de serviços virtuais:
– gestão segura
– serviços de media em LAN
– serviços WiFi
– organização de serviços comissionados
– serviço de comunicações unificados (baseados na plataforma virtualizada Aura, da Avaya)
– rede de jogos
– serviço de IPTV

Destas sete camadas, o mais interessante é a camada de serviço IPTV. Quando se trata de redes, o IPTV é uma besta e exige uma rede de baixa latência, altamente resistente e, acima de tudo, rapidez para funcionar. O principal desafio para a rede é distribuir 36 canais de vídeo HD a 1.500 telas de IPTV em cada local. O Fabric Connect permite uma distribuição “multicast” escalável e eficiente para vídeos de alta qualidade com mudança rápida de canal.

O BYOD e as implicações de acesso de convidados também são aplicações interessantes. A maioria das organizações luta com a chegada de alguns milhares de dispositivos. A rede olímpica teve que escalar de zero a mais de 40 mil usuários em um único dia. O outro desafio é que a rede teve que ser construída sem o conhecimento de tipos de dispositivos usados, nem existe a possibilidade de disciplinar os usuários. O Fabric Connect estende todos os serviços de rede a todos os pontos da rede, incluindo os serviços de segurança, para garantir que os usuários tenham uma experiência de elevada qualidade, segura.

Fonte: Computerworld