byod-segurancaA enorme discrepância entre o número de dispositivos pessoais e aplicativos que acessam as redes corporativas, e as auditorias de proteção frente a aplicativos de aparelhos móveis, está fazendo como que os líderes de TI se desobrem para resolver problemas de segurança no setor, revela pesquisa realizada pela Dimension Data.

De acordo com o Relatório de Segurança em Enterprise Mobility, elaborado pela companhia, apesar de 82% dos entrevistados dizerem que os funcionários de suas organizações estão usando dispositivos pessoais e aplicativos para trabalhar, apenas 32% realizaram auditorias de segurança para aplicações usadas por aparelhos móveis. Além disso, 90% dos participantes da pesquisa disseram não ter a capacidade necessária para impedir seus colaboradores de utilizarem dispositivos pessoais para acessar os sistemas da empresa por conta própria – mesmo que quisessem.

Isto sugere que os líderes de TI estão se desdobrando para resolver problemas de segurança decorrentes do apoio feito ao conceito BYOD (traga seu próprio dispositivo, na sigla em inglês) e à mobilidade empresarial, em meio a uma explosão de dispositivos pessoais e aplicativos que acessam a rede. A Dimension Data entrevistou 1.622 profissionais de TI e de segurança de empresas com mais de 250 funcionários, em 22 países em toda a Ásia, Europa, Oriente Médio, África e Américas.

O Relatório de Segurança em Enterprise Mobility da Dimension Data também revela que:

• Apenas uma pequena parte (27%) dos 1.622 executivos de TI entrevistados disse que possui políticas de uso de rede bem definidas e em vigor referente à mobilidade;

• Cerca de 23% confirmou que a sua organização permite que os funcionários baixem aplicações não-corporativas para aumentar a produtividade;

• 29% das organizações pesquisadas afirma que não-funcionários e convidados são capazes de obter acesso limitado à rede da sua empresa a partir de dispositivos móveis pessoais.

No entanto, embora os departamentos de TI sejam capazes de exercer controle para proteger seus dados corporativos, enquanto gerenciam o acesso de dispositivos pessoais – por meio de auditorias de segurança, por exemplo – o levantamento da Dimension Data revela que muitos não o fazem. Na verdade, mais de 71% dos entrevistados disse que seus líderes empresariais veem a utilização de aparelhos pessoais como potencialmente perigosa, cara e não-crítica para os negócios.

Fonte: Convergência Digital