coreiaInformações sobre os cartões de crédito de quase metade da população sul-coreana foram roubadas e vendidas a empresas de empréstimo no país. Nesta ultima segunda-feira, executivos das três operadoras de cartão envolvidas no caso pediram desculpas aos clientes e colocaram seus cargos à disposição.

Segundo promotores sul-coreanos, o roubo aconteceu no início de 2012 mas só foi descoberto agora. Os investigadores concluíram que um engenheiro terceirizado da Korea Credit Bureau – empresa especializada em traçar perfil creditício de consumidores e que tem acesso aos bancos de dados de operadoras de cartões – importou as informações para um pen-drive e vendeu a firmas de crédito. As operadoras cujos dados foram vazados são a Lotte Card, o KB Financial Group e o NongHyup Bank.

Segundo o “Wall Street Journal”, foram repassadas informações como endereços de e-mail, números de telefone, salário e média de gasto mensal de 104 milhões de cartões de crédito do país. Autoridades estimam que 20 milhões de sul-coreanos foram afetados – a população do país é de 49 milhões de habitantes.

Embora as autoridades tenham informado que nenhum dano financeiro foi detectado até o momento, a revelação do vazamento desencadeou corrida a agências bancárias na Coreia do Sul por correntistas desesperados para saber detalhes do caso. Também estão congestionados os sites das empresas envolvidas, assim como suas centrais de atendimento por telefone.

De acordo com Cho Sung-mok, diretor do Serviço de Supervisão Financeira sul-coreano, os dados roubados não estavam criptografados, o que permite a qualquer pessoa que detenha os arquivos acessá-los. Também por causa disso, as companhias afetadas só souberam do roubo quando avisadas pelas autoridades.

“As empresas de cartão de crédito cobrirão qualquer perda financeira causada em seus consumidores”, garantiu o Serviço de Supervisão Financeira em comunicado divulgado nesta segunda-feira.

O engenheiro e duas pessoas que compraram os dados foram indiciados pela polícia sul-coreana. Segundo promotores, o ladrão foi contratado pela Korea Credit Bureau para desenvolver software que detecta fraudes com cartão de crédito.

Todos os 27 executivos das unidades bancária e de cartões da KB Financial ofereceram seus cargos nesta segunda-feira. O presidente do grupo terá que decidir se aceitará as demissões. O chefe da unidade de cartões de crédito da NongHyup também abandonou o posto nesta segunda. Já na Lotte, o conselho de diretores vai avaliar se demitirá ou não os nove executivos envolvidos, que também ofereceram seus cargos.

Fonte:  Jornal O Globo