icannA Corporação da Internet para Atribuição de Nomes e Números (Icann, na sigla em inglês), está pedindo a ajuda do Brasil para iniciar os debates sobre mudanças na governança da internet. O presidente da Icann, Fadi Chehadé, esteve na última semana com o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, e disse que as articulações para as mudanças devem começar ainda este ano.

“Ele veio nos procurar, disse que conversou com dirigentes de vários países, como a Estônia, Coreia, Alemanha, e com a comissária europeia [da Agenda Digital], Neelie Kroes, e todos citaram o discurso da presidenta Dilma na Organização das Nações Unidas (ONU). Ele acha que tem que fazer essa mudança na governança e quer começar um debate, e quer que a gente ajude”, disse o ministro ontem (8/10), referindo-se ao discurso da presidenta Dilma Rousseff na abertura da 68ª Assembleia Geral da ONU. Na ocasião, Dilma defendeu que sejam estabelecidas novas regras multilaterais para a governança e uso da internet e medidas que garantam uma efetiva proteção dos dados.

Paulo Bernardo relatou que ficou admirado com a mudança no comportamento do Icann, pois até agora o órgão não tinha se manifestado desta maneira sobre o assunto. “É uma notável mudança no comportamento do Icann”, disse. O ministro garantiu ao dirigente o apoio do Brasil ao debate.

Leia Também:

General do Exército defende mais recursos para a segurança da informação no Brasil

Para empresas nacionais, Brasil pode ser autônomo em criptografia

Seis em cada dez brasileiros foram vítimas de crimes eletrônicos

Fonte: Agencia Nacional