defesaaA verba para defesa cibernética foi reduzida, mesmo após revelação da ação dos EUA, o corte para 2014 soma R$ 20 milhões. Além das duras críticas à mega espionagem dos Estados Unidos a outros países, feitas na Assembléia Geral das Nações Unidas, a presidente Dilma Rousseff anunciou que o Brasil vai implementar esforços, legislação e tecnologias para se proteger.

Apesar da promessa, o orçamento destinado à defesa cibernética, previsto no Projeto de Lei Orçamentária Anual (Ploa), foi reduzido em R$ 20 milhões para o próximo ano. Segundo levantamento do site Contas Abertas, apenas R$ 70 milhões foram destinados à ação “Implantação do Sistema de Defesa Cibernética”. O valor representa 78% dos R$ 90 milhões previstos no Ploa 2013 e autorizados no Orçamento deste ano, já considerado os valores correntes.

O Brasil redobrará os esforços para dotar-se de legislação, tecnologias e mecanismos que nos protejam da interceptação ilegal de comunicações e dados. Meu governo fará tudo que estiver ao alcance para defender os direitos humanos de todos os brasileiros e de todos os cidadãos do mundo e proteger os frutos da engenhosidade de nossos trabalhadores e de nossas empresas”, afirmou Dilma, ao criticar a espionagem industrial.

Ainda segundo o Contas Abertas, os recursos da iniciativa são destinados ao Centro de Defesa Cibernética (CDCiber), criado em 2012 para atuar na proteção das redes e infraestruturas de tecnologia da informação das instituições e entidades que compõem a defesa nacional.

As atividades do CDCiber estão centradas em ações relativas à segurança do Estado, por meio da utilização de sistemas de defesa contra possíveis ameaças e de mecanismos de proteção de dados sensíveis. Desde a criação, o Centro atuou na Rio+20, na Copa das Confederações e na visita do papa ao país.

Leia Também:

Em um ano, EUA teriam comandado 231 ciberataques

Celulares podem comandar ataques cibernéticos

BAE Systems lança solução contra ataques cibernéticos

Fonte: Monitor Digital