nuvemAutor: Luís Osvaldo Grossmann

O desconhecimento sobre a computação em nuvem ainda é grande até entre empresas de TI, conforme mediu uma nova pesquisa da consultoria Frost & Sullivan no Brasil. Mas curiosa mesmo é uma certa contradição demonstrada por executivos entrevistados: quase todos temem ter os dados expostos, mas ainda dão pouca importância à presença local de fornecedores de ‘nuvem’.

Como demonstrou o analista de TICs da consultoria, Bruno Tasco, segurança segue o ponto mais importante. “Dos 121 executivos de TI entrevistados, 92% nomearam segurança como fator crítico para escolher provedor de nuvem”, relevou ele ao participar nesta ultima quarta-feira, 29/8, do Fórum RNP, que acontece em Brasília.

Quando a gente fala em presença local, apenas 14,7% trata isso como muito importante. Só que quando contrata uma empresa americana, por exemplo, a legislação de lá diz que qualquer informação que entra nos EUA eles têm autoridade para poder acessar. Ou seja, presença local e segurança não deveriam ser questões desconexas”, emenda Tasco.

Talvez essa aparente incoerência tenha relação com o desconhecimento. Conforme a mesma pesquisa, 80% do mercado brasileiro ainda tem um entendimento regular do que é cloud computing. “Só 3,3% das empresas entrevistadas dizem ter um excelente entendimento do conceito e da forma como utilizar a computação em nuvem”, diz Tasco.

Leia Também:

Crackers usam serviços de hospedagem na nuvem para disseminar malware

Espionagem dos EUA já cancela projetos de computação em nuvem

Fornecedores de cloud perderão até US$ 35 bilhões em três anos

Cloud requer a adoção de políticas internas de segurança

Fonte: Convergência Digital