checkAutor: Venki Tecnologia

Nosso blog já debateu com os leitores, em diversos conteúdos, sobre a importância e os ótimos resultados colhidos pelas empresas que apostam numa boa política de Governança Corporativa. Um dos focos desse trabalho, como também temos reforçado por aqui, é o claro estabelecimento de processos internos. E mesmo que a disseminação dessas práticas ainda atinja uma pequena parcela das empresas brasileiras, recente diagnóstico realizado pela Venki Tecnologia por meio do Estudo sobre BPM no Brasil, revelou que há maturidade no cenário nacional, no que diz respeito ao mapeamento e documentação de processos.

Nosso post propõe a reflexão acerca de outro tema fundamental para garantir uma gestão corporativa eficiente e confiável. Trata-se do conceito de compliance que está relacionado às normas que regulamentam e padronizam as políticas do negócio. O principal benefício  é permitir que sua empresa evolua e inove a gestão, atingindo melhores índices de resultado e atuando de forma preventiva na identificação de não conformidades dos processos. Ao adotar normas e ferramentas que estabelecem e permitem o acompanhamento dos processos, as diretrizes do seu negócio serão sustentadas para auxiliar a organização de um fluxo de trabalho e garantir eficiência e efetividade estratégica. Além disso, sua empresa ganha credibilidade por mostrar ao mercado o compromisso com a adequação legal e a manutenção de compromissos com os diferentes skateholders, tornando seu negócio muito mais sustentável e durável.

Em última instância, fortalecer o complicance e a governança corporativa tem sido uma ação encarada não mais como forma de resolver pontuais não conformidades processuais, mas uma ferramenta de prevenção de tais problemas e otimização das práticas e estratégias corporativas. Com a adoção de metodologias normativas e ferramentas BPM de gestão sua empresa irá agregar:

Diferencial competitivo;

Maturidade empresarial;

Sustentabilidade dos negócios;

Transparência e controle na prevenção contra não conformidades e fraudes;

Constante aprimoramento do trabalho executado (foco na melhoria contínua).

E para não errar a mão, integrando de forma correta compliance e governança corporativa, as especialistas já citada apontam, ainda, 9 pontos relevantes e que devem ser levados em consideração quando a organização resolve adotar tais práticas. Para elas é essencial que haja um planejamento e que o mesmo seja pensado de forma que:

1 -A cultura do compliance e da governança corporativa seja disseminada pela equipe diretiva; (o tom deve vir de cima);

2 – Seja feito um teste de implementação da nova cultura em uma área assim é possível demonstrar os benefícios e eliminar os mitos para obter apoio da equipe;

3 – Forme um time buscando as pessoas certas e os recursos adequados;

4 – Mapeie e monitore a implantação e estabeleça ainda metas de redução de riscos;

5 – Comunique e treine sua equipe e promova a transparência;

6 – Dê voz a todos para garantir um canal de investigação e denúncia. Com isso, será possível resolver as não conformidades e reportá-las com facilidade;

7 – Calibre as condutas dos profissionais. Incentive e sancione (estes são mecanismos-chave);

8 – Avalie para evoluir. Estabeleça critérios de métrica e promova melhorias no seu programa;

9 – Prove que você tem um planejamento que pode ser a fórmula de sucesso e abrandamento de sanções.

E você, já está ligado nos benefícios agregados pela utilização dos conceitos de compliance e governança na rotina de gestão da sua empresa? Vale a pena estudar essa adaptação, sempre lembrando que o sucesso da implantação depende da dedicação de toda a equipe envolvida e da qualidade da ferramenta adotada.

Leia Também:

Três etapas indispensáveis à criação de políticas para proteção de dados

Cloud requer a adoção de políticas internas de segurança

Empresas devem estar preparadas contra pornografia infantil

Mercosul terá regulamentação comum para segurança cibernética

Fonte: SupraVizio